In Memorian


washington_dc_169Quem poderia imaginar? 15 hs de domingo, no cemitério de Inhaúma. O retrato do imponderável estava lá, estático, sereno como quem sonha bonito. Os rostos, porém, abatidos, inchados, semblantes caídos escondidos atrás de um óculos ou dos cabelos. A chuva fina parecia chorar conosco.As palavras se recolhiam dentro em mim, parecia que todas tinham se reunido em meus pensamentos, trazendo-me reflexões.

Na verdade, a reflexão era uma só: tudo passa rapidamente, mas nós voamos…o que estamos fazendo com nossas vidas?. O coração se encheu e a boca teve de falar, o sermão de domingo À noite não poderia ser diferente, o último fim de semana abalara a igreja.
Deus,…dizia no íntimo…..Tu és bom e Soberano em todo tempo e fora de tempo….porém ainda assim, uma pergunta latejava Mas, por quê?, e mais uma vez me lembrava das palavras de meu pai: Deus é Soberano. “Reina o Senhor, Tremam os povos”. 
O que poderia dizer à familia de João?  Na verdade, disse a Deus: Não tenho uma palavra sequer, mas sei o que posso fazer, viver o que tanto cantei com eles durante todo ano: “Eu quero chorar quando você chorar, eu quero sorrir quando você sorrir…”. E quanto a nós Senhor, os que continuam acima da sepultura, ensina-nos a contar os nossos dias para que alcancemos coração sábio.  

 

 

 

 2 Antes que nascessem os montes, ou que tivesses formado a terra e o
   mundo, sim, de eternidade a eternidade tu és Deus.
4

Porque mil anos aos teus olhos são como o dia de ontem que passou,
   e como uma vigília da noite.

5

Tu os levas como por uma torrente; são como um sono; de manhã
   são como a erva que cresce;

6

de manhã cresce e floresce; à tarde corta-se e seca.

7

Pois somos consumidos pela tua ira, e pelo teu furor somos
   conturbados.

8

Diante de ti puseste as nossas iniqüidades, à luz do teu rosto
   os nossos pecados ocultos.

9

Pois todos os nossos dias vão passando na tua indignação;
   acabam-se os nossos anos como um suspiro.

10

A duração da nossa vida é de setenta anos; e se alguns, pela sua
   robustez, chegam a oitenta anos, a medida deles é canseira e
   enfado; pois passa rapidamente, e nós voamos.

11

Quem conhece o poder da tua ira? e a tua cólera, segundo o temor
   que te é devido?

12

Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos
   corações sábios.

13

Volta-te para nós, Senhor! Até quando? Tem compaixão dos teus
   servos.

14

Sacia-nos de manhã com a tua benignidade, para que nos regozijemos
   e nos alegremos todos os nossos dias.

15

Alegra-nos pelos dias em que nos afligiste, e pelos anos em que
   vimos o mal.

16

Apareça a tua obra aos teus servos, e a tua glória sobre seus
   filhos.

17 Seja sobre nós a graça do Senhor, nosso Deus; e confirma sobre nós
   a obra das nossas mãos; sim, confirma a obra das nossas mãos

(Oração de Moisés Salmo 90)

 

3

Tu reduzes o homem ao pó, e dizes: Voltai, filhos dos homens!

Anúncios
Etiquetado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: